O mundo fora do Consultório

_MG_8928

Desde o momento em que escolhi a Psicologia como faculdade e consequentemente profissão, trilhei um caminho que me levasse a ter a área Clínica como ofício. Enquanto estudante foi inevitável trabalhar em Recursos Humanos, mas assim de formada fui logo alugar minha primeira sala de atendimento e por certo tempo desenvolvi o consultório em paralelo à empresa em que trabalhava e depois à residência na área Hospitalar.

Todas as experiências foram fundamentais para que realizasse meu sonho do consultório e há bons anos tenho trabalhado exclusivamente neste cenário e sempre pensando sobre meu estar dentro e fora dele.

Estar no consultório, em atendimento, é um dos momentos mais felizes do meu dia, o estar lá para o outro, receber sua história, acolher suas dores, ser cúmplice dos seus sonhos, me faz sentir honrada! Como o universo do Humano me encanta! Li uma colocação que traduz exatamente o como me sinto neste papel: sou uma guardiã de segredos, uma grande privilegiada de ser escolhida por pessoas que se dispõem a confiar em mim e na minha entrega nesta relação.

O ambiente é aconchegante, o clima é de tranquilidade, o contexto é de compartilhamento e intimidade. Como não se apaixonar por esta profissão? Mesmo em sessões mais difíceis, às vezes tristes, outras mais agressivas, intensas, pra mim o saldo final é sempre positivo. Porém vamos ao lado obscuro deste mundo, que não é tão cor de rosa assim: além da capacidade de tolerar e lidar com as minhas próprias emoções relacionadas a cada processo (que inclui comumente ansiedade e frustração inevitáveis ao exercício do trabalho), meu grande desafio é a condição de isolamento inerente ao contexto do consultório.

Não sei o quanto esta questão é relevante à maioria dos profissionais, mas confesso que pra mim é um dos pontos mais sofridos. O dia se desenrola em sessões a dois (paciente e terapeuta) onde o cuidado está voltado ao universo do paciente e apesar da troca e da intimidade, não reflete a profundidade de uma relação não profissional onde o meu mundo também estaria em jogo, em cuidado. Uma coisa é estar para o outro, a favor do outro, outra coisa bem diferente é estar em relacionamentos de igual demanda.

Apesar de estar envolvida em várias relações no trabalho, no final do dia ainda sobra desejo de mais relacionamentos, ou melhor, de relacionamentos de outra ordem. Daí a importância de pertencer a outros grupos, de investir nos vínculos familiares e de amizade, de se envolver em hobbys, em oportunidades que possibilitem elos de amor e, principalmente, que me tirem da armadilha da clausura que o consultório pode se transformar.

Por que é engraçado pensar que o contexto que passo a maior parte do meu tempo é o mesmo sobre o qual menos posso me manifestar. Não existe, nesta profissão, o falar sobre o trabalho, o falar sobre pacientes e atendimentos, não é ético, quebraria toda construção de confiança no vínculo e exporia a vida de outro alguém. Não cabe! E desde o início entende-se que escolher esta profissão é a escolha por estar no papel de um confessor; contexto esse tão protegido que merece a atenção devida para não ser aprisionado.

Ou seja, o sair desta “poltrona” é fundamental para se alimentar de outros cuidados, de outros olhares, para exercer outros papéis, principalmente os papéis mais comuns e mais livres de condições tão específicas. Ser Psicóloga é uma vocação, mas estar Psicóloga só dentro do consultório; fora dele carrego as mesmas características inerentes a minha maneira de ser, mas preciso de outras fontes de intimidade que sustentem minha vida e façam esse jogo saudável o suficiente para existência de dois mundos tão diferentes e tão complementares.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s